quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Ciúmes


Por ciúmes às vezes nós passamos
Situações de risos ou de troças,
Presos à vida de quem tanto amamos,
Nós esquecemos de viver a nossa.

Sempre de tudo nós desconfiamos,
Em ebulição a alma se alvoroça,
Quando algo que somente imaginamos
Evolui, se agiganta e nos destroça.

Aí descolorimos nossos dias
Criando as mais estranhas fantasias
Só prevendo algo ruim acontecer.

Na sucessividade dos deslizes
Levamos a vida sem ser felizes...
Sem deixar a quem amamos também ser!!!



(Jenário de Fátima)

Um comentário:

jenario de fátima disse...

Que bom. Vez em quando passo pela net pra ver quem posta meus Poemas. E no seu caso vc colocou os créditos. Algo raro.
Boa noite e fique com Deus